-->

Estilos

Escola Cervejeira Alemã

Alemanha: Importante Escola Cervejeira

A Alemanha é um dos maiores produtores e consumidores de cerveja do mundo, atingiu essa supremacia graças a sua posição geográfica e pelo seu clima ideal para cultivo de cevada e lúpulo.

Desde a época do império romano, os povos da Europa Setentrional sempre foram grandes produtores de cerveja, isso fez com que a cerveja se tornasse a bebida preferida dessa região.

Escola Cervejeira Alemã: Lei da Pureza

Tudo começou quando o Duque Guilherme IV da Bavária criou a Reinheitsgebot (a famosa Lei da Pureza da Cerveja Alemã), isso aconteceu em 1485 somente para a cidade de Munique e em 1516 para todo o estado da Escola Cervejeira Alemã - Lei da PurezaBavária.

A intenção dessa lei era de regularizar a produção de cerveja da época, dizendo que a cerveja só poderia ser produzida com cevada, lúpulo e água.  Mais tarde após o desenvolvimento da química e da modernização/invenção de equipamentos, foram descobertas as leveduras e adicionadas a Lei.

Essa regulamentação teve vários motivos:

  • Uma safra ruim na colheita de grãos (principalmente o trigo e cevada) tiveram como consequência o aumento desenfreado do preço da cerveja. A cerveja era uma alimento importante para a população da Bavária e o príncipe queria garantir para todos uma cerveja com um preço acessível.
  • Outra causa é o medo de doenças e envenenamento por matérias-primas estranhas. E o uso dessas matérias-primas estranhas, depois de fermentadas naturalmente, não tinham um gosto agradável e muitas vezes insípidos.

Então era muito comum naquela época o uso de outros ingredientes além da água e cevada para melhorar o sabor da cerveja.

Eram usadas especiarias de vários tipos e gêneros como ervas, raízes, fungos e até mesmo substâncias orgânicas como sangue de boi.

Mesmo o lúpulo já sendo conhecido  há muito tempo como conservante natural e aromatizante para cervejas, muitos cervejeiros daquela época procuravam constantemente melhorar o gosto da cerveja com outras substâncias, muitas vezes perigosas para a saúde.

A intenção do Príncipe da Bavária foi tentar impedir esses abusos.

Um outro motivo para a criação da Lei da Pureza de 1485 (quando ainda era somente no estado da Bavária) foi um pouco mais “moderno”, o príncipe quis dar um empurrão econômico a cerveja, concedendo esse privilégio como uma prerrogativa especial.

Sobre uma perspectiva moderna de marketing, podemos dizer que a cerveja bávara se tornou sinônimo de qualidade.

O primeiro resultado dessa Lei foi que os cervejeiros dessa região ganharam um prestígio social elevado.

A cerveja na Alemanha é também Política.

As consequências da Lei da Pureza foram muito importantes: o preço por litro foi fixado a 2 moedas de prata.

O preço da cerveja quase sempre foi político. Em 1844 a população de Munique fez uma revolta contra o aumento exagerado do preço da cerveja. Quando o povo se revoltou contra as cervejarias o governo tentou uma repressão militar sem sucesso, pois os soldados também foram contra esse aumento, sendo solidários ao povo.

Outra consequência da Lei da Pureza alemã foi o controle por parte do estado no processo de fabricação da cerveja.Escola Cervejeira alemã - Alemanha

Em Munique por exemplo, depois da criação da lei, foi feita uma comissão estadual para controlar a qualidade e a higiene do processo de fabricação.

Os produtores tiveram que prestar um juramento e foram obrigados a respeitar as regras da Lei da Pureza, aqueles que infringiam a lei era punidos.

Não é por acaso que na Alemanha se encontra a cervejaria mais antiga do mundo ainda em atividade, a Weihenstephan.

Em 1040 o imperador Henrique III concedeu ao abade Arnoldo do monastério beneditino de Weihenstephan, o direito oficial de fabricar e vender cerveja aos moradores da cidade de Freising.

O monastério foi fundado em 725, e já era comum eles produzirem uma cerveja escura, forte e rica para o próprio consumo.

Mais tarde os padres começaram a aromatizar essa cerveja com lúpulo, que era cultivado aos redores do monastério para alimentar o gado.

Alguns estilos de cervejas típicos da Alemanha:

MUNCHENER

Cerveja típica de Munique, cidade pátria das primeiras cervejas a baixa fermentação. Nascida originalmente escura, com notas de malte tostado, fruta seca, chocolate e pouco amarga. A versão Helles (clara em alemão), tem o malte mais evidente e tende ao doce de cereais e com baixo amargor.

PILSEN OU PILS

Nascida na cidade de Plzen (Pilsen em Checo) na Republica Checa, em 1842 graças a um mestre-cervejeiro da região da Bavária, que desenvolveu e aperfeiçoou procedimentos e matérias-primas com grande qualidade. As características dessa cerveja é o seu amargor, a cristalinidade e espuma branca e compacta. No curso dos séculos cada país tem a sua tipologia de Pils, perdendo um pouco as suas características originais.

DORTMUND EXPORT

Estilo típico da cidade de Dortmund. Cerveja clara menos amarga em comparação a uma Pilsen, teor alcoólico mais alto, mais redonda e gaseificada.

DUNKEL – SCHWARZBIER

As Dunkel são versões escuras de alguns tipos de cervejas claras alemãs, produzidas através de maltes tostados. As Schwarzbier são cervejas escuras onde os maltes tostados chegam a dar aromas e sabores de chocolate, café e castanha.

MARZEN e OKTOBERFESTBIER

Em tempos passados, antes da descoberta da refrigeração artificial, não se produzia cervejas nos meses mais quentes do verão. A Märzen é uma cerveja cor âmbar, produzida em março com uma graduação alcoólica levemente alta, para ser bebida no verão. Em outubro eram organizadas festas (Oktoberfest) para terminar os estoques de cerveja e começar novas brassagens com a vinda do inverno. Hoje esse estilo é muito conhecido por ser a principal cerveja da Oktoberfest na Alemanha. As suas características é uma cor dourado levemente escuro, corpo cheio e redondo, com toques de biscoito e malte.

BOCK E DOPPELBOCK

Esse estilo tem origem na cidade de Einbeck na Alemanha, é uma cerveja escura e densa com perfumes de malte, frutas vermelhas e mel, pouco amarga, gradação alcoólica de 6,5%- 7% e ainda mais alcoólicas para as Doppelbock. A Doppelbock tem uma história interessante: o estilo foi criado na região da Bavária por monges franciscanos que a chamaram Salvator. Então seguindo essa tradição a maioria das Doppelbock tem o nome que termina em ator, que indica uma cerveja rica e encorpada, invernal com notas tostadas e frutadas.

VIENNA

Estilo nascido na Áustria, mas infelizmente em declínio na Europa. Curiosamente esta renascendo em micro-cervejarias nos EUA e na América Latina, somente no Brasil temos 2 ou 3 exemplos clássicos desse estilo. As suas características são a sua linda coloração avermelhada com espuma branca e compacta, nuances de biscoito e frutas vermelhas, álcool baixo e médio amargor.

RAUCHBIER

Especialidade típica da região da Franconia na Alemanha, especificamente da cidade de Bamberg, com uma característica marcante de aroma e sabor defumados.

WEIZEN OU WEISS

Cerveja típica da Bavária (por lei não pode conter menos de 50% de trigo maltado na receita). Pode ser refermentada na garrafa. A versão filtrada e cristalina se chama Kristallweizen. Graduação alcoólica moderada, pouco amargor e pode ter uma cor levemente âmbar. A típica levedura Weizen usada, dá um aroma frutado, geralmente de banana madura e temperos como o cravo. Existem também as Weizenbock ou Weizendunkel, com uma coloração mais escura, corpo cheio e graduação alcoólica elevada, além dos mesmos nuances de uma Weizen, normal podem proporcionar também toques de frutas vermelhas, tostado e café.

GOSE

Estilo nascido na região de Goslar na Alemanha, pouco conhecida mas não por isso menos interessante. Atualmente existem somente dois produtores clássicos desse estilo na cidade de Leipzig na Alemanha. Cerveja com trigo com características salgadas e láticas.

KOLSCH

Cerveja proveniente da cidade de Köln na Alemanha. Produzida usando leveduras selecionadas. Cor dourada e límpida, geralmente com um amargor leve, limpo e delicado, corpo muito leve, retrogosto seco com aromas de lúpulo e floral.

3 Comentários

  1. Carlos Vieira

    Quero detalhes

  2. Pablo Lopes

    Você sabe, quais cervejarias no BRASIL segue a escola alema ou a lei de pureza?

Deixar um comentário

Website por Lupulada Estratégias Digitais