Cervejas Inglesas: Típicas Real Ales

Escola cervejeira inglesa

A família cervejeira mais consumida no mundo são as cervejas Lager (de baixa fermentação), mas os ingleses
continuam fieis às famosas e típicas cervejas inglesas chamadas Real Ales (cervejas de alta fermentação inglesa).

É uma diferença de hábito que nem todos entendem, mas que na realidade, trata-se de uma distinção muito clara.

OS ESTILOS TÍPICOS INGLESES SÃO TODOS ALES!

Um século atrás, o mundo inteiro se converteu ao novo método de produção cervejeira de baixa fermentação descoberto através dos estudos de Pasteur e Carl Jacobsen, mas a Inglaterra era muito potente e orgulhosa para aceitar uma cerveja diferente vinda do exterior.

Ainda hoje, mesmo com uma intensa atividade publicitária, as cervejas Lagers não conquistaram nem 1/3 do mercado inglês.

Escola Cervejeira Inglesa: CAMRA (Campain for Real Ales)

Na década de 70 as Lagers começaram a ocupar uma grande fatia do mercado inglês.

Algumas multi-nacionais, que só produziam Lagers, compraram algumas clássicas cervejarias inglesas e, depois da compra concretizada, estas empresas começaram a produzir Lagers nessas fábricas ou simplesmente fechavam.
Com isso os consumidores ingleses começaram a perceber o desaparecimento das típicas cervejas ales inglesas. Esses consumidores criaram uma associação chamada CAMRA (Campain for Real Ales), uma associação que lutou e luta até hoje pela disseminação e a cultura da escola cervejeira inglesa na Inglaterra e no mundo.

Como em qualquer outro país cervejeiro, a Inglaterra tem os seus próprios hábitos de consumo, alguns que podem surpreender!

Os ingleses além do alto consumo das suas Real Ales, preferem sobretudo cervejas no barril (chope), mais de 75% de toda a cerveja vendida na Inglaterra é servido nas torneiras dos milhares de Pubs espalhados por todo o território inglês.

A coisa mais impressionante e extraordinária é que a metade de toda a produção de cerveja da Inglaterra provém de seis grandes cervejarias, também chamadas de “Big Six” (Bass, Allied Breweries, Whitbread, Watney, Courage, Scottish & New Castle).

Escola Cervejeira InglesaIsso incomodou um pouco os consumidores, que se sentiram condicionados a beber somente cerveja produzidas por essas “Big Six”, e começaram a procurar novos produtores pequenos e artesanais.

Essas empresas (Big Six) são proprietárias de mais de 40 cervejarias espalhadas pela Inglaterra, algumas com mais de 80 anos de idade. Se contarmos as cervejarias independente podemos chegar a mais de 180 cervejarias na Inglaterra.

Alguns estilos da Escola Cervejeira Inglesa:

MILD

Ale âmbar-escura originária das regiões das minas ingleses e galeses. Baixa gradação alcoólica, pouco amarga, gosto maltado com notas de caramelo. Estilo quase em extinção entre os grandes produtores, sobrevive entre algumas micro-cervejarias fora da Inglaterra.

BITTER

Ale de cor âmbar, frutada, caracterizada por um grau alcoólico baixo (abaixo dos 4%) e com um amargo intenso e limpo, derivado do grande uso de lúpulos ingleses. Pouco carbonatada como em quase todas as Ales inglesas. Existem as Best Bitter que indica uma cerveja da mesma tipologia mas com uma gradação alcoólica com cerca de 4,5%, e por último existe a Extra Special Bitter (ESB) chegando até os 5,5%.

ENGLISH PALE ALE

Cerveja de cor âmbar pálido nascida na zona de Burton-on-Trent para fazer concorrência as Porters escuras de Londres. Amarga e seca, com uma gradação alcoólica de cerca 5%. A versão americana é menos maltada e ainda mais amarga com lúpulos americanos aromáticos.

INDIA PALE ALE

Era a versão mais alcoólica e amarga da Pale Ale, destinada ao consumo das colônias inglesas, produzida com essas características para poder suportar as longas viagens nos navios. Estilo também em declínio na Inglaterra, senda revivida nos EUA com um amargor sempre mais intenso e exagerado.

BROWN ALE

Estilo antigo, uma ale marrom que deriva da Mild, com mais corpo e álcool. Nuances de caramelo e castanha, pouco amarga.

OLD ALE

Tipologia antiga e de grande tradição. Cor escura, corpo cheio e grau alcoólico elevado, aromas de frutas vermelhas secas. Na garrafa pode envelhecer.

BARLEY WINE

O “Vinho de Cevada” é uma cerveja complexa, caracterizada por uma alta gradação alcoólica, gosto maltado, frutado e geralmente lembra o vinho. Cerveja de meditação, geralmente de cor âmbar-escuro, pouco carbonatada e quase sem espuma. Perfeita para o envelhecimento.

PORTER

Famosa cerveja escura nascida como estilo em 1722. Primeiramente era uma “mistura” de 3 diferentes cervejas, uma ale clara, uma ale escura e uma envelhecida. Mas a dificuldade de misturar as 3 cervejas na cantina ou até mesmo no balcão no momento do serviço, deu a idéia a um cervejeiro de Londres de fazer essa cerveja diretamente a partir das matérias-primas. Caracterizada por uma cor escura, com uma gradação alcoólica de 5%-6%, gosto torrado com nuances de frutas vermelhas secas e amargor médio.

STOUT

Antigamente esse nome Stout indicava a cerveja mais alcóolica da gama do produtor, existem vários tipos de Stout.

IRISH DRY STOUT

Estilo nascido na Irlanda, mas conseguiu o sucesso quando chegou em Londres. Hoje é considerado um símbolo nacional representado pela famosa Guinness. A sensação desse estilo e a secura, amarga devido ao alto uso de cevada torrada e lúpulos ingleses . O aroma remete o torrado, café, caramelo e alcaçuz, corpo médio. Existem versões mais alcoólicas chamadas Extra Stout.

SWEET STOUT OU MILK STOUT

Stout adocicadas com lactose, com notas de chocolate e caramelo com um leve toque ácido. Antigamente usavam a publicidade para mulheres grávidas. Estilo quase extinto, encontramos alguns produtores nos EUA, Inglaterra e Itália.

OTMEAL STOUT

Muito parecidas com as Sweet Stout, é uma Stout com o uso de farinha de aveia na receita que a deixa mais cheia e macia, e mais rica no olfato.

IMPERIAL STOUT

Cerveja criada no século de 1800 principalmente para a exportação para os países balticos, sobretudo para a Rússia (por isso também chamada de Russian Imperial Stout). Para suportar as longas viagens e as altas temperaturas, foi produzida uma Stout com uma gradação alcoólica mais elevada e mais amarga. Uma cerveja que se apresenta corposa, alcoólica, maltada com notas de frutas cristalizadas, uva passa, café, alcaçuz e defumado.

OYSTER STOUT

A tradição diz que Stout e ostras sejam a harmonização ideal. Então alguém pensou em criar uma cerveja aromatizada a ostras. Os produtores são poucos, concentrados sobretudo na Inglaterra.

CHOCOLATE E COFFE STOUT

Popular sobretudo nos EUA, são Stout adocicadas com doces e chocolates. As principais características são perfumes e sabores de chocolate, café e cacau.

espedicao cervejeira belgica com kuasca