Cerveja com milho: É o único elemento que determina a qualidade da bebida?

O mercado de cervejas artesanais no Brasil está em alta, todas as informações que chegam ao público, é de um segmento emergente e de crescimento vertiginoso.

Você começa a conhecer estas cervejas e a frequentar bares e restaurantes, onde no cardápio, você encontra as cervejas especiais ou artesanais.

Nestes ambientes você conhece pessoas, que como você, estão entusiasmadas e apaixonadas pelas cervejas diferentes e cheias de sabor, e os papos sobre o assunto são inevitáveis.

Logo nas primeiras frases das conversas, o jargão do momento entra no bate-papo:

– Eu não bebo mais as cervejas comerciais, não gosto de “Suco de Milho

O milho foi eleito o vilão dos amantes das cervejas artesanais, o tal ingrediente “cereais não maltados”, que constam na composição das grandes marcas do mercado, é o alvo dos olhos atentos dos consumidores antenados, nos rótulos das cervejas.

Mas afinal, qual a finalidade destes “cereais não maltados” e, principalmente do coitado do milho na composição destas cervejas?

Iniciei uma pesquisa na internet para entender mais sobre o assunto.

Na verdade, as grandes cervejarias utilizam geralmente arroz ou milho, e também carboidratos já processados, em forma de xarope, prontinhos para serem transformados em álcool pelas leveduras – mas o grande vilão declarado é o milho.

Segundo a lei de pureza alemã – chamada “Reinheitsgebot” – os únicos ingredientes aceitos na composição da cerveja são: água, malte, lúpulo e levedura.

É nesta lei que a grande maioria dos inimigos do milho se apoiam para difamar o cereal, na verdade pelo que se sabe atualmente, quando esta lei foi criada a finalidade não era a pureza da cerveja, e sim a preocupação dos alemães com o controle de preços, taxação de matérias-primas e disputa política local.

Outros ingredientes das cervejas são chamados de adjuntos, e o milho ou os cereais não maltados, são alguns destes adjuntos.

cerveja com milho: Será?

Os adjuntos são utilizados para conferir as cervejas características específicas, com finalidade de criar sabores e aromas que conquistem consumidores em todo o mundo.

O próprio milho é utilizado por cervejarias belgas, americanas e até alemãs.

O milho tem como finalidades principais, conferir a cerveja leveza e custos mais baixos, tornando-as mais comerciais e acessíveis a uma grande massa de consumidores.

Afirmar que uma cerveja é de má qualidade, apenas por possuir milho na composição, não é uma verdade.

O grande problema das grandes cervejarias nacionais é ocultar do consumidor a composição real de suas cervejas, pois nossa legislação assim permite que seja feito. Segundo a legislação brasileira, é permitido utilizar na fórmula de uma cerveja até 50% de cereais não maltados, sem necessariamente especificar quais são – as grandes marcas utilizam em média 45% de cereais não maltados.

As gigantescas campanhas publicitárias das cervejarias, nunca se preocuparam em enaltecer a qualidade de seus produtos, o foco é sempre no ambiente e na forma como se consome, muita mulher bonita, festas, irreverencia e consumo de grandes quantidades.

Nosso paladar ficou acostumado a cervejas muito leves e pouco amargas, pois somente assim podemos consumir quantidades estapafúrdias em um único dia.

Eu credito que toda esta discussão a respeito das cervejas, do milho, da finalidade e da forma, faz parte da revolução de consumo das cervejas no Brasil, é parte integrante da transformação.

É muito bom que isto esteja ocorrendo, é um processo de conhecimento dos inúmeros estilos de cervejas existentes, e da apresentação de opções de consumo para uma maior gama de situações.

Então, o grande vilão não é somente o milho, e sim todo um processo que ocorreu na história da cerveja no Brasil.

Esta história ainda está sendo escrita – É uma história de sucesso certamente, pois o crescimento do consumo de cervejas do Brasil é o maior do mundo se comparado a outros países, então não podemos apenas criticar, precisamos analisar e formar uma opinião mais fundamentada.

Não quero criticar quem difama o milho, nem tampouco defender as grandes cervejarias, minha intenção é provocar discussões construtivas em torno do universo cervejeiro, pois na minha opinião, este é um dos caminhos para o crescimento e aprimoramento do mercado cervejeiro do Brasil.

E você, o que acha a respeito deste assunto? Seus comentários são muito bem-vindos.

cerveja com milho: uma análise

Quer saber mais ? Segue links de matérias sobre o assunto:

O Globo

Bar do Nogueira

Manual do Homem Moderno

espedicao cervejeira belgica com kuasca